Fim do mundo
sexta-feira, julho 30, 2004
Inverno
Eu gosto do inverno.

Mas eu estava vendo o fotolog do meu irmão mais novo (fotolog.net/damasceno - não deixe de visitar) e no último post dele está escrito "Nada de mais, tudo esse negócio de andar por aí...". Estava lembrando disso enquanto voltava do trabalho e percebi o tanto que o frio é bonito. Eu muito mais do que gosto, na verdade. Eu acho esse tempo lindo!

Aqui no Brasil existe a cultura do corpo de fora, da mulata, da beleza da mulher (nua) brasileira. Essa é a "cultura" que a Globo exporta com toda vontade e, quando alguém diz que o que conhece do Brasil são as mulatas e o carnaval, nós somos os primeiros a dizer o quão ignorantes esses estrangeiros são. De qualquer maneira, estamos acostumados a achar que praia é bonito, que corpos de fora, pouca roupa e pele é bonito. E não é.

Você já viu, com toda certeza, alguém dizer, com maravilha na voz, que viu um lindo bando de pássaros a voar sobre um lago, ou que o documentário do Discovery Channel mostrou o mais belo bando de flamingos a pescar na beirada de algum rio. No zoológico é facil ficar maravilhado com a beleza dos tigres ou com a espetacularidade que é o gorila. Ninguém (são) diz algo como "olha que lindo esse monte de gente atravessando a Afonso Penna aqui na altura da praça Sete nessa tarde de quarta-feira", ou mesmo "veja só como que essas praias completamente lotadas são interessantes".

Porque a paisagem humana não é bonita. Ver um monte de gente se acotovelando não é legal, morar em um lugar onde os guardas têm que empurrar as pessoas para que todas possam caber num vagão do metrô não é ter qualidade de vida.

Aí vem o frio e as coisas mudam. Mudam porque as pessoas que estão na rua têm de estar. Não acredito que elas saiam do conforto quente de seus lares para terem seus rostos cortados pelo vento frio à toa. Não e não. O frio traz um propósito. Têm-se que resolver o que está pendente e voltar para aquele lugar quentinho que nos espera. Se você tiver sorte, talvez exista também um alguém quentinho te esperando. O mais legal de se ter alguém é que mesmo que esse alguém não esteja quentinho, vocês podem sentir frio juntos. Daí esse frio não vai durar muito tempo...

E no frio ninguém anda semi-nu pelas ruas (quase ninguém, afinal as putas ainda trabalham...), mas é preciso ainda chamar a atenção. Então as pessoas desfilam encapotadas com suas belas blusas e seus narizes vermelhos. As mulheres felizes por poderem desenterrar seus cachecóis e seus lindos gorros coloridos amarelos e azuis de crochê. Os homens, vestidos com uma camisa de manga comprida, a andarem em linha reta pálidos, tentando disfarçar que não estão morrendo de frio, torcendo para que alguma mulher encapotada perceba esse esforço extremo. Dizem que o inverno é feio e monocromático, mas é mentira. No inverno as cores estão por toda parte, em roupas tão vistosas quanto as penas dos pássaros, nos rostos vermelhos dos transeuntes, no sorriso sincero de quem recebe uma blusa vinda não se sabe de onde. No inverno a gente descobre mais das pessoas porque elas estão escondidas, porque elas são mais do que corpos. De repente, por algumas semanas (porque dificilmente o inverno nessas terras dura mais que isso), somos todos um pouco mais do que corpos.

O resto descobrimos andando por aí...

Abraços,

Leandro
posted by Leandro @ 4:30 PM   0 comments
sexta-feira, julho 23, 2004
Frio e afins
Bença, moçada.

Frio pra caralho por aqui. Piorou depois que vi o termômetro da rodoviária (isso, é claro, se pudermos confiar em alguma coisa que vem de uma rodoviária): 12 graus. Pode parecer muito prum bocado de gente, mas pra mim é bastante frio. Lembrei de um livro que li a algum tempo atrás. Na verdade, a última vez que o li foi há pouco tempo, porque já li esse livro um bocado vezes. Chama-se "Deuses Americanos", do Neil Gaiman. Um cara que é mais conhecido por ter escrito histórias em quadrinhos, mas essas serão tema pra outra hora. Enfim, em "Deuses Americanos", num determinado momento, o personagem principla, Shadow, quase morre ao tentar ir da sua casa até uma loja pra comprar roupas de inverno. Ele está mal agasalhado e uma nevasca quase o faz ficar pelo caminho. Não estou comparando uma nevasca do norte dos Estados Unidos com os 12 graus da noite de BH, mas acho que hoje senti um pouquinho do que Shadow sentiu ao sair de casa naquele dia infeliz. E olha que eu gosto de frio. Adoro! O problema do frio excessivo é o mesmo de qualquer coisa em excesso. Cansa! O simples caminhar cansa de verdade. Seu nariz escorre e perde a toda a sensibilidade, a ponta dos seus dedos adormece, seu rosto gela e a garganta fica tão seca quanto um Martini de cabaré.

Esse tempo é bom pra gente pensar um monte de coisas, jogar o que pensou fora e pensar tudo de novo.

Não é um tempo exatamente produtivo.

"Nascer e morrer são certezas incontestáveis, todo o resto é por nossa conta e não precisa ser igual, ser melhor, ser pior, ou coisa que o valha, mas precisa ser alguma coisa". É por isso que a gente vai, sempre em frente, "barcos contra a correnteza", subindo o rio em direção ao que nós não conhecemos. Por isso enfrentamos o frio e tomamos decisões que nem sempre são as mais acertadas, mas mesmo assim a gente vai. Não se engane, é aí que está o melhor da vida.

Abraço,

Leandro
posted by Leandro @ 12:32 AM   0 comments
terça-feira, julho 20, 2004
Aquiles
Esse saiu no primeiro número da revista "A PAR", lá da minha terra natal, Formiga-MG.



Abraços,

Leandro

[de volta ao mundo dos vivos]
posted by Leandro @ 9:44 AM   0 comments
sábado, julho 17, 2004
Desenho
Amanhã vai ter desenho aqui...



Para pacificar as suas almas, seus bastardos.



Leandro

posted by Leandro @ 10:21 AM   0 comments
sexta-feira, julho 16, 2004
marquetingue
"Pra que as pessoas visitem seu blog você tem que fazer marquetingue".

Esse foi meu irmão mais novo falando. Ele tem um fotolog (fotolog.net/damasceno). Se você não conhece, deveria. Ele também faz parte de uma turma de desenhistas e trabalha num estúdio de animação.

No final das contas, no entanto, nada disso importa. O que importa é o marquetingue. Senão ninguém sabe que eu tenho um blog. Ou, como eu gosto de falar, tenho uma coisa dessas que a gente faz quando tem tempo de sobra.

Sim, estou de férias. Durante uma semana, mas férias ainda assim. Segunda começa tudo de novo. A rotina, as filas, os ônibus lotados, as dificuldades com prazos, os clientes reclamando.

Vai ser divertido!

"Não mal dizer o fardo"

Esse foi meu irmão filosofando de novo.

Plantem bambus agora. Eu explico o motivo depois.

Abraços,

Leandro

[ainda postando diretamente do fim do mundo]

ps: visitem esse blog mais vezes (essa foi a minha tentativa de fazer marquetingue)!
posted by Leandro @ 10:45 AM   0 comments
quinta-feira, julho 15, 2004
então vamos lá
Depois de tentativas frustadas ontem, acho que agora vai.

Não foi por nenhum motivo especial.

Criei esse blog - tão pré-determinado que é vergonhoso que seja utilizado de forma subjetiva - porque bateu vontade.

Se você gostar, volte. É possível que existam coisas legais por aqui.

Abraços,

Leandro

[de um lugar bonito e aconchegante no fim do mundo]
posted by Leandro @ 11:37 AM   1 comments
é aqui que começa
Agora vamos ver se isso funciona...

Só isso.
posted by Leandro @ 11:35 AM   0 comments
é aqui onde começa.
About Me

Name: Leandro
Home: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
About Me: Nasci em Formiga-MG, moro em BH. Formado em publicidade e propaganda pela PUC-MG, mestrando em comunicação social.
See my complete profile
Previous Post
Archives
Shoutbox

Aqui é Leandro Damasceno, reportando da Terra. Está tudo em paz aqui, câmbio? Estou testando widgets, ok? Câmbio Final.

Links
Powered by

Free Blogger Templates

BLOGGER

/